O Prêmio Pritzker é uma das principais premiações internacionais dedicadas inteiramente à arquitetura. Muitas pessoas avaliam que ele ajudou a elevar o padrão dos projetos mundiais, pois os profissionais buscariam superar as inovações dos seus concorrentes para ganhar o reconhecimento trazido por ele.

O casal criador, Jay e Cindy Pritzker, provavelmente se inspirou no modelo do Prêmio Nobel, pois os vencedores também são agraciados com cem mil dólares e um certificado formal para atestar a sua importância internacional. 

O Prêmio tem três pilares para escolher seus ganhadores: solidez, beleza e funcionalidade. Assim, os arquitetos que o almejam não devem se esquecer de nenhum desses elementos, evitando dar destaque para projetos lindos, mas pouco funcionais para seus usuários. Então, se você quer conhecer melhor sobre os ganhadores do Prêmio Pritzker e sua linguagem arquitetônica, não deixe de acompanhar o post até o final!

Luis BarragánPrêmio Pritzker

O mexicano foi o segundo ganhador da premiação — que acabou sendo aclamada por escolher também profissionais fora do circuito norte-americano. Inspirado no Modernismo europeu, Barragán criou um estilo único, que o notabilizou por toda a sua vida. Sua linguagem arquitetônica inclui principalmente o uso das cores vivas e das formas para criar emoção e beleza nas obras. 

Ao mesmo tempo, por serem tão únicas, elas trazem um grande estranhamento positivo para o observador, que ficará impressionado com como a utilização de apenas alguns elementos simples pode causar uma arquitetura totalmente nova. Sua casa é tida como um de seus principais projetos e foi tombada como Patrimônio Mundial pela Unesco. 

James StirlingPrêmio Pritzker

James Stirling é internacionalmente conhecido pela experimentação de várias estratégias para criar projetos realmente únicos. Sua inquietação permitia que ele explorasse várias técnicas em vez de se prender a uma única linguagem arquitetônica. No entanto, a maioria das suas obras tem algumas características em comum, como a brincadeira com as formas e arestas, além de um destaque para o vidro.

Grande parte de suas obras mais conhecidas foram construídas para as universidades britânicas, como a Biblioteca de História da Universidade de Cambridge, prédios da St. Andrews University e o Edifício de Engenharia da Universidade de Leicester. Entre suas obras residenciais, estão os apartamentos de Ham Common, um grande marco para a arquitetura residencial contemporânea.

Oscar NiemayerPrêmio Pritzker

Antes que o Prêmio Pritzker completasse dez anos, um brasileiro foi agraciado em 1988. O ganhador é ninguém mais ninguém menos do que o mais importante arquiteto brasileiro, Oscar Niemeyer.

Nascido no Rio de Janeiro e graduado em Arquitetura pela Escola Nacional de Belas Artes, já na década de 1940, Niemeyer começou a elaborar projetos completamente inovadores, que ficaram conhecidos principalmente pelo uso do concreto armado para criar formas curvas. Por meio do contraste de um material tão sólido com a fragilidade do vidro, sua linguagem arquitetônica nas obras da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, impressionaram não somente o Brasil, mas todo o mundo. 

Prêmio Pritzker

Depois disso, nos anos 1950, foi convidado pelo presidente JK para fazer sua maior e mais arrojada obra, a cidade planejada de Brasília. Localizada no meio do Planalto do Cerrado Brasileiro, o município se tornaria a capital do Governo Federal e buscaria trazer desenvolvimento para a região mais interiorana do país. 

Ele assina o projeto de vários edifícios da capital, como o Congresso Nacional, o Palácio da Alvorada, a Catedral de Brasília e o prédio do STF. Outras obras relevantes no Brasil são o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o Edifício Triângulo em São Paulo e o prédio da Reitoria da UFMG. Durante o período de exílio na ditadura militar, Niemeyer realizou vários projetos internacionais e fez parte do time de arquitetos projetistas do prédio da Sede Mundial da Organização das Nações Unidas. 

Zaha HadidPrêmio Pritzker

Zaha Hadid foi a primeira mulher a ganhar o Prêmio Pritzker (em 2004), que, até hoje, é marcado pela presença predominantemente masculina. Somente 3 mulheres ganharam o prêmio, e Zaha foi a única a não compartilhá-lo com um homem. O principal motivo desse reconhecimento é a linguagem forte dos seus projetos, sendo ela uma das principais representantes de um grande movimento chamado de desconstrutivismo. 

Ela também é reconhecida por ser uma das arquitetas com maior presença internacional. Há obras dela na Alemanha (Vitra Fire Station), nos EUA (Centro de Arte Contemporânea Richard and Lois Rosenthal), na Bélgica (Edifício do Porto de Antuérpía), no Arzebaijão (Heydar Aliev Center), na China (The Guangzhou Opera House), entre outras. 

Prêmio Pritzker

No Brasil, um dos projetos de Zaha foi alvo de polêmica, pois nunca chegou a sair do papel. O empresário brasileiro Omar Peres a contratou para projetar um hotel na Avenida Atlântica, no Rio de Janeiro. A expectativa era lançá-lo para as Olimpíadas de 2016, mas a demora no processo de regularização fez com que a construção atrasasse e Peres desistisse do projeto. Seria o primeiro modelado por Zaha na América Latina. 

Por uma obra tão extensa e influente, ela é bastante importante no meio acadêmico, tendo cátedras nas Universidades de Harvard, de Illinois, de Yale e de Columbia.

Paulo Mendes da RochaPrêmio Pritzker

Por fim, não podemos deixar de falar do último brasileiro a receber o Pritzker. Paulo Mendes da Rocha nasceu em Vitória no Espírito Santo, mas foi estudar em São Paulo na Universidade Mackenzie. Na megalópole, estabeleceu sua carreira para toda a vida. Sua primeira obra a se tornar famosa foi o Clube do Atlético Paulistano, cujo projeto foi concluído em 1958.

Sua linguagem arquitetônica faz uso de vários elementos interessantes, como o concreto armado, a luz natural, a elevação de estruturas em vigas etc. Além disso, ele se notabilizou por intervenções arquitetônicas em estruturas históricas, como a Fachada da Igreja de Santo Antônio e o Prédio da Pinacoteca de São Paulo.

Devido ao seu processo bastante criterioso e sem preferências regionais, o Prêmio Pritzker se consolidou como uma das principais premiações do circuito internacional da arquitetura, sendo comparado ao Nobel. Hoje em dia, todo arquiteto que almeja um grande sucesso internacional pensa no Pritzker como seu principal objetivo da carreira. Afinal, isso fornece um atestado de que toda a comunidade reconhece o seu trabalho como belo, funcional e sólido. 

Quer continuar recebendo os melhores posts sobre arquitetura e decoração? Então, não deixe de assinar nossa newsletter!