Em um mercado competitivo, assegurar a produtividade no ambiente de trabalho é o 1º passo para que uma empresa se destaque e supere a concorrência. Mas esse aumento na capacidade de produção depende de um conjunto de fatores.

Este post não tem a intenção de ser um manual administrativo, mas é importante dizer que, entre os fatores que contribuem para a produtividade, estão os processos otimizados, os colaboradores capacitados e um ambiente favorável ao bom desempenho e à obtenção de resultados.

De modo geral, esses detalhes têm recebido cada vez mais atenção dos gestores. Por isso, as empresas têm procurado melhorar o seu processo seletivo para garantir as melhores contratações. Elas também identificam gargalos, distribuem os recursos e as tarefas e implementam melhorias para tornar a dinâmica do negócio mais ágil e eficiente.

E quanto ao ambiente, o que pode ser feito para que se torne adequado e estimulante, favorecendo a produtividade dos colaboradores? Até que ponto a configuração do espaço contribui para a qualidade de vida dos funcionários e, consequentemente, para o seu bom desempenho?

Esse é o assunto do post. Portanto, se você ficou interessado, continue a leitura. Vamos mostrar como é possível promover a qualidade de vida no trabalho e criar as condições ideais para uma equipe produzir e alcançar resultados. Vamos começar?

A importância da qualidade de vida para o trabalhador e a sua produtividade

O “jeitinho brasileiro” é conhecido em grande parte do mundo. Infelizmente, ele passou a imagem de um povo que alcança determinados resultados sem o esforço devido. Porém, essa ideia não condiz com a realidade da nossa população economicamente ativa.

Embora os dados divulgados pela Organização Internacional do Trabalho sejam de 2014, eles revelaram que a média brasileira de atividade é de 1.711 horas anuais. Portanto, temos uma carga de trabalho semelhante à dos Estados Unidos (1.789 horas/ano), Japão (1.729 horas/ano), Itália (1.719 horas/ano) e estamos à frente do Canadá (1.703 horas/ano).

Ou seja, para a maioria da população economicamente ativa, a média de 39,9 horas semanais — lembrando que a jornada pode chegar a 44 horas, mas que muitos passam até 50 horas no escritório — corresponde à maior parte do período que passam acordadas.

Portanto, promover a qualidade de vida no trabalho é uma maneira de garantir a satisfação das necessidades dos colaboradores que convivem diariamente naquele espaço. Além da dimensão humana dessa medida, ela é um fator importantíssimo para a produtividade.

Alguns aspectos contribuem para a qualidade de vida no ambiente de trabalho. Podemos destacar alguns que tratam da dimensão psicológica e profissional e outros que dizem respeito à configuração do espaço. Conheça os principais:

Uso e desenvolvimento de capacidades

Refere-se ao aproveitamento das habilidades do colaborador, à percepção que ele tem do significado dos seus esforços e à autonomia e ao incentivo que recebe para exercer a sua função com excelência.

Integração social e organizacional

Diz respeito ao clima da organização, à ausência de discriminação de qualquer tipo, aos relacionamentos saudáveis com gestores e cooperadores, ao manejo adequado de conflitos e à sensação de pertencimento e valor.

Respeito à legislação

Refere-se ao resguardo de direitos e tratamento digno, que protege o trabalhador de abusos e garante liberdade de expressão e privacidade pessoal.

Condições de saúde e segurança

Trata da configuração física do espaço para garantir a saúde e o bem-estar dos funcionários, além de prevenir acidentes de trabalho e o surgimento de doenças e de lesões decorrentes de um ambiente inadequado.

5 elementos de um ambiente de trabalho saudável e produtivo

A falta de conforto afeta os trabalhadores, tanto no aspecto psicológico quanto físico. Por isso, alguns fatores exigem uma atenção especial:

Climatização

A temperatura influi bastante na produtividade. Basta nos lembrarmos de como é difícil manter a concentração em um ambiente muito quente e do quanto é desconfortável permanecer em um local muito frio.

Sabe-se que a produtividade dos funcionários é maior quando eles são acolhidos em um ambiente cuja temperatura varia entre 20 e 25 ℃. Essa variação ainda é considerada confortável e propícia à concentração e ao bom desempenho.

Iluminação

O ideal é que o ambiente tenha uma boa incidência de luz natural. Além de saudável, essa iluminação contribui para o estado de “alerta” da mente, favorecendo a atenção e a produtividade.

Caso isso não seja possível, é fundamental contar com um bom projeto de iluminação, que preveja a luminosidade ideal para a realização das atividades de rotina sem a necessidade de forçar a visão.

Ventilação

O oxigênio é o combustível do corpo, e não é diferente com o nosso cérebro. Esse órgão consome 25% do oxigênio absorvido pelo nosso organismo, e por isso uma boa ventilação do ambiente é essencial à produtividade.

Também é válido lembrar que um ambiente mal ventilado é mais propício à propagação de doenças. Portanto, dar a devida atenção a esse aspecto é uma forma de prevenir problemas de saúde dos funcionários e, ao mesmo tempo, turbinar a produtividade da equipe.

Acústica

O excesso de ruídos causa um impacto imediato sobre os resultados do trabalho, mas também um efeito nocivo à saúde do trabalhador a médio e longo prazo.

Quando exposto a ambientes ruidosos por um longo tempo, o trabalhador pode enfrentar:

  • dificuldades de concentração;

  • dores de cabeça;

  • fadiga extrema;

  • e até mesmo prejuízos definitivos à audição.

Nem sempre é possível eliminar as fontes de ruído, portanto, o ambiente deve ser desenhado para evitar a propagação do som. Isto é, deve haver barreiras capazes de enclausurar ou de absorver os ruídos.

Isso acontece a partir da configuração do espaço, incluindo o isolamento de determinadas áreas com a ajuda de paredes, de divisórias e de uma boa distribuição da mobília.

Por isso, esse fator merece atenção tanto na configuração do espaço quanto, se for o caso, a orientação para a utilização de equipamentos de proteção individuais (EPIs).

Ergonomia

O conforto dos móveis e a sua capacidade de se adaptar às necessidades dos colaboradores — que têm as suas diferentes características físicas — é essencial.

A ergonomia é um assunto tão sério que existem certificações que atestam se um móvel é ou não indicado para uso prolongado em ambiente de trabalho. Trata-se de um tema tão relevante que esse conforto deve se sobrepor até mesmo às características visuais do projeto.

Certamente, um arquiteto competente consegue conciliar essas 2 necessidades, mas é importante salientar que o bem-estar do trabalhador deve vir em 1º lugar.

5 dicas para aumentar a qualidade de vida no trabalho

Transforme a qualidade de vida na missão estratégica da empresa

Para obter resultados, a organização precisa das pessoas. E quanto mais saudáveis, satisfeitas e felizes elas estiverem, maior será o retorno para a companhia. Portanto, cuidar de gente é a forma mais eficiente de obter resultados.

Como a empresa pode fazer isso? O 1º passo é demonstrar essa preocupação ao colocar a saúde e a satisfação dos colaboradores em destaque. Isso envolve:

  • melhorar o clima organizacional;

  • investir na capacitação da equipe;

  • promover o bem-estar geral;

  • e configurar adequadamente o ambiente.

Reduza o ritmo

Parece contraditório falar em redução de ritmo e aumento na produtividade. Mas o fato é que realizar várias tarefas ao mesmo tempo (a famosa capacidade multitarefa) prejudica os resultados de um colaborador.

Nosso cérebro não é multitarefa. Ele trabalha com a alternância, e não com a simultaneidade. Portanto, fazer várias coisas ao mesmo tempo gera um nível altíssimo de atividade, mas pouca efetividade.

Manter a concentração e o foco é essencial para conseguir fazer mais e melhor. Há ferramentas de gestão que ajudam a fazer a distribuição de tarefas e evitar a sobrecarga.

Incentive a inovação

A inovação é fundamental para as empresas que pretendem sobreviver em um mercado competitivo. Mesmo que elas não pretendam reinventar a roda, precisarão rever processos para se tornarem mais produtivas.

A grande questão é que a inovação não apenas agiliza os processos. Quando os gestores dão espaço para que os colaboradores sugiram ideias de otimização, eles se sentem reconhecidos e valorizados.

Esse tipo de satisfação e de reconhecimento pessoal contribui muito para a qualidade de vida no ambiente de trabalho.

Crie um ambiente previsível

A incerteza é um dos fatores que causa estresse entre os colaboradores. Todos gostam de saber o que se espera que façam, quando e como. Dessa forma, eles sabem exatamente como desempenhar as suas atividades para alcançar a aprovação dos seus gestores.

Por mais que haja espaço para inovações, estabeleça parâmetros focados em resultados. Os prazos e as metas devem ser definidos para que todos tenham certeza de que o desempenho será avaliado a partir de critérios objetivos.

Esse tipo de atitude evita o clima de insegurança e instabilidade entre os colaboradores, prejudicando o bem-estar e o desempenho deles.

Gerencie os conflitos de forma adequada

O manejo de conflitos depende tanto de medidas preventivas quanto corretivas. Por isso, um bom ponto de partida é o incentivo ao bom relacionamento e ao trabalho em equipe.

Pratique uma comunicação organizacional clara. Oriente o grupo a manifestar as suas percepções de forma construtiva, criando um clima de colaboração. Esse tipo de gestão já previne alguns problemas como fofocas e disseminação de boatos — o que evita conflitos.

Porém, mesmo se com essas medidas alguns conflitos forem inevitáveis, aja de forma justa e imparcial. Ouça todos os envolvidos, permita que eles exponham os seus argumentos e os conduza em um consenso pautado não pelas impressões pessoais, mas sim pelos interesses da companhia.

A importância da arquitetura corporativa para a qualidade de vida no trabalho

Mas, afinal, quanto a configuração do espaço interfere ou auxilia na produtividade dos funcionários? Se ainda não conhece a resposta a essa pergunta, os resultados podem surpreendê-lo.

A Sociedade Americana de Designers de Interiores realizou uma pesquisa reveladora referente a esse tema. Os resultados do estudo mostram que, ao contrário do que se pensava, o ambiente físico está entre as principais preocupações dos funcionários.

A configuração do espaço de trabalho é a 3ª principal preocupação dos colaboradores das organizações, ficando atrás apenas dos salários oferecidos e dos benefícios proporcionados pela companhia.

E não é difícil entender o motivo: um espaço mal organizado, pouco iluminado, desconfortável e com ventilação insuficiente não só é desagradável, como interfere negativamente na capacidade produtiva de um trabalhador.

Além disso, ele traz sérios impactos à saúde: as dores lombares, por exemplo, são a maior causa de absenteísmo dos brasileiros — um problema que, segundo a Previdência Social, afastou 24 mil trabalhadores apenas no 1º trimestre de 2016. Para 1 em cada 10 trabalhadores, o problema se torna crônico.

Portanto, em qualquer ambiente de trabalho — fábrica, escritórios, escolas, hospitais e estabelecimentos comerciais — é essencial contar com um design que planeje o local para evitar riscos e promover o conforto dos trabalhadores.

A arquitetura corporativa é fundamental à medida que:

  • planeja e otimiza um espaço para que ele seja capaz de oferecer condições para o exercício de todas as atividades que precisam ocorrer naquele local;

  • torna o ambiente visualmente agradável, contribuindo para a satisfação e para o bem-estar dos colaboradores;

  • insere equipamentos e mobília de acordo com as necessidades ergonômicas dos trabalhadores, promovendo conforto e prevenindo lesões;

  • garante uma identidade visual adequada à imagem que a empresa pretende transmitir tanto aos funcionários quanto a clientes ou fornecedores que visitam o local;

  • configura o ambiente de acordo com as condições de segurança e de saúde ideais para a permanência e para o trabalho das pessoas;

  • organiza o espaço para que se torne mais funcional, facilitando a rotina dos trabalhadores e reduzindo o tempo de realização das tarefas.

Para que os colaboradores alcancem as metas da companhia e trabalhem em sinergia com a equipe, é fundamental que o corpo e a mente estejam em ótimas condições, capazes de se alinhar aos propósitos da organização.

Modelar o ambiente propício a isso, tanto no que se refere ao bem-estar pessoal e profissional quanto em relação ao aspecto físico, é a melhor forma de proporcionar as condições essenciais à excelência e à produtividade.

Entendeu como a configuração do espaço é importante para a produtividade no ambiente de trabalho?

Gostou deste post e quer ter acesso a outras dicas e informações como essas? Então assine a nossa newsletter e receba conteúdos indispensáveis em 1ª mão, diretamente no seu e-mail!