Já há muito tempo, os arquitetos têm plena consciência de que os ambientes são desenhados para atender às necessidades das pessoas e promover a qualidade de vida nos espaços individuais e coletivos. Por isso, esses profissionais aplicam os seus conhecimentos e desenvolvem muitos exemplos de inovação na arquitetura com a finalidade de alcançar esse objetivo.

Quer saber qual é a importância da inovação na arquitetura e quais são as novidades que já estão começando a aparecer nos projetos? Então, continue a leitura! 

A importância da inovação na arquitetura

Como já falamos, os ambientes são desenhados para as pessoas. Em uma sociedade em constante transformação, é perfeitamente normal que elas percebam novas necessidades, fazendo com que todos os serviços busquem soluções adequadas ao novo contexto.

Com a arquitetura, isso não é diferente. Por isso, os profissionais da área estão redobrando esforços para buscar alternativas e desenvolver materiais, tecnologias e propostas capazes de atender esses anseios.

O primeiro motivo que leva a essa mudança é a adoção de padrões cada vez mais exigentes pelos consumidores. Eles desejam encontrar elementos promotores da qualidade de vida em todos os espaços em que vivem. Dessa forma, passaram a valorizar projetos capazes de conciliar perfeitamente customização, economia e resultado estético para formar um ambiente funcional

No entanto, um outro aspecto também tem ganhado bastante destaque. As preocupações de caráter ambiental e social estão cada vez mais latentes. Então, é essencial encontrar caminhos para evitar o desperdício de materiais e criar construções sustentáveis, que exijam o consumo mínimo de recursos naturais.

Quer descobrir como a inovação na arquitetura está solucionando esses problemas? Veja o próximo tópico!

Novas soluções em arquitetura

Para atingir os objetivos que já comentamos, estão surgindo várias soluções na área de arquitetura. Conheça algumas delas:

Programas e aplicativos

Hoje, é possível utilizar programas e aplicativos que dão ao cliente uma ideia muito próxima do ambiente finalizado. Desde os simuladores simples, que mudam as cores e texturas das paredes ou inserem objetos, até programas e equipamentos mais sofisticados, que modelam o ambiente em 3D, existe uma preocupação muito grande em garantir a plena satisfação do consumidor.

Esse tipo de tecnologia é muito importante, porque o projeto pode ser adequado às expectativas do cliente mesmo antes de seu início. Dessa forma, é possível evitar surpresas desagradáveis na entrega do projeto e, principalmente, o desperdício, já que nesses casos é muito improvável que surja a necessidade de remodelar alguma área.

Uso da realidade virtual

Além desses recursos, o arquiteto pode ir além e usar a realidade virtual para apresentar os seus projetos. Com esses dispositivos, o cliente tem uma experiência totalmente imersiva e pode até caminhar e interagir com um espaço que ainda não existe fisicamente.

Essa experiência, tão próxima da realidade, é suficiente para tirar qualquer dúvida do cliente ou gerar modificações antes da execução de um projeto. Assim, ela se torna extremamente útil tanto para o arquiteto quanto para o contratante.

Imagine o caso de um empresário que solicita um projeto para remodelar o ambiente de trabalho, por exemplo. Com esse tipo de dispositivo, ele consegue não só visualizar o espaço em escala reduzida, mas ter uma noção exata do layout corporativo e de como as pessoas conseguirão circular nesse espaço.

Ele poderá caminhar entre as mesas ou baias, circular pelos corredores, visitar o ambiente onde os clientes serão recebidos e perceber como será a experiência real deles. Assim, ele pode se assegurar de que o projeto é a melhor opção da empresa ou propor alterações.  

Impressão 3D 

A principal vantagem da impressão 3D é que ela permitirá a criação de praticamente tudo que o arquiteto imaginar. Portanto, ela acaba com a dependência das opções apresentadas pelo mercado, que nem sempre atendem a necessidade de customização do cliente.

Building Information Modeling (BIM)

O BIM é uma tendência muito promissora da arquitetura, que promete aumentar a satisfação dos clientes ao mesmo tempo que reduz os custos com o projeto. Os especialistas em Building Information Modeling utilizam metodologias específicas e softwares não só para chegarem a uma demonstração do resultado, mas, principalmente, para manejar as informações referentes a sua execução.

Com o apoio de um especialista em BIM, o responsável pelo projeto consegue realizar cálculos com maior precisão. Isso faz com que ele tome decisões estruturais mais seguras e também permite uma estimativa de uso de materiais muito próxima da realidade, o que evita o desperdício de recursos, inclusive financeiros.

O BIM é uma inovação tão importante para a arquitetura que até mesmo o Governo Federal lançou uma estratégia nacional para a sua disseminação por meio de decreto. O objetivo dessa iniciativa é reduzir os custos da construção em 9,7% e aumentar a produtividade em 10% até 2028.

Novidades sustentáveis

Não é exatamente uma novidade que os recursos naturais estão se esgotando a uma velocidade preocupante. Por isso, a arquitetura está desenvolvendo soluções em diversos segmentos ou até mesmo começando a aplicar ideias relativamente antigas de novas maneiras, popularizando opções que até então eram inacessíveis à maioria das pessoas. 

É importante que o arquiteto conheça essas possibilidades e insira em seus projetos alternativas para reduzir consumo de recursos hídricos e energia elétrica, por exemplo. Hoje em dia, o mercado já oferece dispositivos que ajudam a reutilizar a água de torneiras e descargas e que podem ser utilizadas em praticamente qualquer construção. 

Internet das coisas

Ambientes altamente automatizados podem deixar de ser um delírio futurista em breve. Já existem inúmeras possibilidades de aplicação do conceito de Internet das Coisas e, a medida que essa tecnologia ganha maturidade e experimenta uma redução de custos, ela pode se tornar perfeitamente viável em muitos projetos. 

A expectativa é de que, nos próximos anos, equipamentos domésticos simples e conectados a redes sem fio sejam capazes de identificar a presença de pessoas, realizar verificações biométricas, coletar dados do ambiente ou desencadear a ação de eletrodomésticos e eletrônicos, entre outras opções. Essas mesmas tecnologias também poderão ser aplicadas em espaços corporativos.

Finalmente, a inovação na arquitetura permite que o arquiteto seja um agente transformador. Ele pode usar a tecnologia e os novos materiais com criatividade, criando projetos que melhoram a qualidade de vida das pessoas e permitem a utilização equilibrada dos recursos naturais.

Já conhecia esses exemplos de inovação na arquitetura? Quer aumentar o seu repertório de ideias com alguns projetos arrojados? Continue aqui no blog e confira as principais ideias de escritórios modernos para investir. Inspire-se!