Todos nós sabemos que gerenciar uma reforma ou construção não é tarefa fácil. Mas isso também não significa que será um pesadelo. Basta pensar no gerenciamento de obras como um verdadeiro guia para o objetivo final: um projeto bem-sucedido, com instalações seguras e acabamentos de primeira.

Neste guia estarão os passos que você precisa seguir para administrar todas as etapas da obra sem estresse, dor de cabeça ou saldo no vermelho. Quer entender melhor como funciona? Então acompanhe a leitura e veja as 7 dicas matadoras para um projeto de sucesso!

1. Capriche no planejamento

O planejamento deve ser o ponto-chave do gerenciamento de obras, especialmente porque estamos falando de um projeto de porte, que precisa prezar pela qualidade e segurança das instalações.

Nesse sentido, planejar-se bem significa esboçar toda a parte documental da obra, passando pela criação da planta, escolha da linguagem arquitetônica, concepção do projeto elétrico e hidráulico etc., até chegar à fase final dos acabamentos.

Ou seja, não dá para simplesmente ir “tocando o barco” sem rumo. É preciso estabelecer as prioridades do projeto e desenvolver as fases uma a uma. Para se ter uma ideia da importância do planejamento, imagine o transtorno que seria levantar as paredes de um cômodo e só depois perceber que o espaço poderia ser melhor aproveitado de outra forma. Pois é! Um bom planejamento evita qualquer tipo de retrabalho ou prejuízo.

2. Defina muito bem as metas

Todo planejamento inclui metas. Afinal, precisamos saber aonde queremos chegar, não é mesmo? Então, qualquer que seja o tipo de projeto em desenvolvimento (residencial, corporativo, industrial etc.), é essencial traçar objetivos claros e alcançáveis para que cada etapa da obra seja concluída com sucesso.

Isso tudo deve ser feito com antecedência, avaliando muito bem o cenário antes de começar a preparar o cimento. Até porque há uma série de questões por trás do gerenciamento de obras que precisam ser consideradas, como as prioridades de cada etapa, as condições climáticas para a execução do projeto, o tempo hábil para realizá-lo, a linguagem arquitetônica e o estilo de decoração adotados, entre tantas outras questões pertinentes.

3. Controle o fluxo de caixa

Saber tudo o que entra e o que sai durante o planejamento e a execução da obra é obrigatório para evitar prejuízos ou saldo no vermelho. Comece definindo o orçamento disponível para cada etapa da reforma ou construção, de modo que você saiba exatamente quanto tem para gastar. Assim, ficará muito mais fácil definir as prioridades da obra.

Sem falar que um orçamento estabelecido ajuda a gerenciar a compra de materiais e a contratação de mão de obra, o que favorece o cronograma do projeto e o melhor custo-benefício de cada instalação. Em termos práticos, se você sabe ao certo quanto vai gastar em cada etapa, saberá também quanto pode pagar pelos pedreiros e fornecedores para que tudo saia conforme o planejado.

4. Faça bons orçamentos

A negociação é outro grande pilar do gerenciamento de obras. Colocando tudo na ponta do lápis, certamente você vai evitar desperdício de material e não terá retrabalho com as instalações. E não é difícil fazer um bom negócio, é só ter um pouco de paciência para pesquisar os preços.

A pesquisa deve ser a palavra de ordem na hora de fazer os orçamentos. Afinal, sabendo quanto cada empresa cobrará pelo fornecimento de móveis ou quanto cada pedreiro cobrará para fazer o assentamento dos pisos, fica muito mais fácil negociar, não é mesmo?

Então, nada de fechar negócio com a primeira loja da esquina. Invista um pouco do seu tempo na pesquisa de preços e fique de olho também nas promoções e nos descontos. Muitos lojistas oferecem descontos consideráveis para quem paga à vista ou compra uma grande quantidade de materiais, por exemplo.

5. Priorize a estrutura da obra

É normal a gente apreciar mais a fase dos acabamentos do que a estrutura da obra em si. Até porque escolher os materiais de acabamentos é algo muito inspirador, pois é nessa hora que o projeto vai ganhando a assinatura do arquiteto. Mas jamais descuide da questão estrutural, pois essa etapa interfere diretamente na segurança da obra.

E todo cuidado é pouco, já que uma estrutura mal feita poderá comprometer não apenas a estética dos acabamentos, mas, principalmente, a segurança do imóvel. O melhor caminho para não errar é contar sempre com profissionais capacitados desde a elaboração da planta, passando pelo levantamento da edificação até a fase final dos interiores.

6. Invista em acabamentos de qualidade

Estrutura pronta e devidamente segura, é hora de gerenciar a escolha dos acabamentos do projeto. Essa etapa envolve a realização de todos aqueles serviços finais que dão o tom do imóvel: pisos, revestimentos, pintura etc. Cada um desses detalhes é pensado conforme o estilo do arquiteto responsável pela obra, mas sempre prezando pelo gosto do cliente.

Focar na qualidade dos acabamentos é outro pré-requisito do gerenciamento de obras. Assim, com materiais de primeira, com certeza as instalações serão bem-feitas e o resultado final, bem-sucedido. Pense com carinho em cada detalhe do ambiente, priorizando a funcionalidade dos cômodos e as particularidades de cada projeto.

Um projeto corporativo, por exemplo, demanda cuidados específicos com a organização do espaço, a iluminação das salas e, sobretudo, a escolha dos móveis. Isso faz toda a diferença no propósito e na estética do escritório. Portanto, capriche nessas escolhas e mantenha sua equipe sempre informada sobre as particularidades da obra em questão.

7. Conte com fornecedores especializados

De nada adianta ter um planejamento perfeito e contar com excelente mão de obra se você não tiver bons fornecedores para lhe oferecer acabamentos de primeira, como pisos, azulejos, tintas etc. Em um projeto corporativo, a escolha do mobiliário também precisa ser feita em lojas especializadas, pois é isso que deixa o local com aquela cara de empresa, sabe?

Estações de trabalho, divisórias de ambientes, mesas, cadeiras… Todos esses itens são indispensáveis para projetar um escritório confortável, funcional e muito produtivo. Isso sem falar que os móveis corporativos são ideais para favorecer a unidade visual do projeto e a imagem positiva da marca.

Então, se você está administrando uma obra corporativa, não deixe de contar com fornecedores especializados para garantir a qualidade dos acabamentos e o melhor padrão do imóvel. Seguindo esse caminho, o gerenciamento de obras se tornará muito mais prático e ágil, sem atrasos e sem comprometer a segurança das instalações ou o bom gosto dos acabamentos.

Gostou do post? Então, curta nossa página no Facebook e fique por dentro de mais conteúdos como este!