Assim como a decoração de nossa casa reflete nosso ideal de bem estar, o ambiente de trabalho, em relação ao mobiliário corporativo, deve ser agradável, alinhando estilo, versatilidade e funcionalidade.

Ambientes bem planejados e relacionados à história, à visão e ao ramo da empresa agregam status e transmitem confiança e conforto não só aos colaboradores, mas também a clientes habituais e futuros parceiros que estejam visitando as instalações. 

Além disso, por meio de um bom projeto, o mobiliário corporativo contribui para uma organização funcional do ambiente, pensada para otimizar o fluxo de trabalho.

Diante disso, surge uma dúvida: o que é mais efetivo para a empresa? Um ambiente prático e útil ou criativo e inovador? A seguir, explicaremos alguns pontos a serem levados em conta. Confira!

Escolha o mobiliário corporativo que respeite a Ergonomia

A ergonomia é uma ciência que deve estar presente sempre que o assunto for mobiliários corporativos.

Isto porque ela estuda a relação do indivíduo e seu ambiente de trabalho, sugerindo soluções que a curto, médio e longo prazos trarão satisfação e bem estar ao funcionário — que é o motor da empresa e o principal interessado em um local sadio para exercer suas atividades.

O rendimento dos funcionários depende bastante de móveis ergonomicamente corretos, por isso, tanto em ambientes com estilo onde impera a praticidade quanto em locais onde a inovação é o carro chefe, a ergonomia deverá estar obrigatoriamente presente no mobiliário do escritório. 

Isto quer dizer que as estações de trabalho devem atender a quem as utiliza de forma a não causar nenhum dano à saúde, respeitando inclusive normas criadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Por exemplo: é comum colaboradores desenvolverem dores musculares ou dores de coluna por conta de uma cadeira inadequada. Há também casos de dores de cabeça ou nos olhos por conta da disposição do monitor na mesa ou da iluminação do ambiente.

Portanto, seja a ambientação criativa ou funcional, é muito importante estar atento à questão da ergonomia nas estações de trabalho.

Traduza o ideal da empresa por meio da estética

Antes de decidir sobre o estilo e a estética do local para preparar um projeto, é necessário analisar as características da empresa, sua rotina e os objetivos que se quer alcançar com a criação deste ambiente.

A estética de um ambiente corporativo também faz parte da identidade de uma empresa, portanto no momento de concepção do layout é importante analisar alguns pontos:

O ambiente é mutável?

Alguns ambientes corporativos com uma pegada mais moderna apresentam dupla função. Por exemplo: uma mesa que serve ao mesmo tempo como local de pausa para o café e para a equipe se reunir para discutir estratégias.

Neste caso, o mobiliário corporativo deve acompanhar a informalidade desta proposta, seguindo uma linha despojada, mas sem esquecer de ser agradável e confortável, pois este ambiente recebe também possíveis clientes.

Mesmo em ambientes corporativos mais conservadores é possível planejar o mobiliário de forma a permitir posteriores mudanças na disposição e layout.

O importante é, no momento de concepção do projeto, frisar esta necessidade e encontrar no mercado um local que possua todo o mobiliário para traduzir o conceito.

Quantas pessoas integram o ambiente?

Dependendo do número de colaboradores e do ramo da empresa, soluções mais ousadas — como uma estação de trabalho unificada em uma grande bancada —possibilitam uma melhor interação dos funcionários.

Ramos que exigem maior concentração por parte dos empregados podem ter uma pegada mais clássica, com baias definidas e maior isolamento.

Em todos os casos, é importante a assessoria de uma equipe especializada para que o projeto seja executado de forma a aproveitar espaços e trazer maior funcionalidade ao espaço.

Busque sempre pela otimização de processos

O conceito de otimização de processos é simplificar e agilizar as atividades de uma empresa, desenvolvendo uma sinergia perfeita entre os departamentos e visando reduzir gastos desnecessários, seja de tempo ou de materiais, por exemplo.

E de que forma o mobiliário corporativo pode auxiliar neste processo? Seja de natureza conservadora ou inovadora, os gestores devem ficar atentos ao layout da empresa. Um estudo de layout aponta onde a produtividade fica comprometida.

Por exemplo: se o colaborador precisa levantar várias vezes para ter acesso a documentos em um arquivo ou depósito.

Uma boa proposta neste sentido é ouvir o próprio colaborador. Baseado em sua rotina ele pode indicar pontos onde o processo é dificultado. A partir disso, é possível pensar em soluções funcionais de mobiliário corporativo, como estações de trabalho com espaço para armazenamento de material, por exemplo.

O design inovador de alguns móveis permite que eles se adaptem perfeitamente às necessidades da empresa. Lembre-se de que aproveitar todo o espaço do ambiente pode torná-lo bastante funcional. Além disso, alinhado às propostas da empresa, um projeto inovador permite vários rearranjos caso haja necessidade.

Transforme espaços menos usados em ambientes funcionais

Mesmo os setores menos dinâmicos de uma empresa merecem atenção especial em relação ao mobiliário. É a chance de transformar de forma criativa um espaço que a princípio não teria flexibilidade nem tampouco possibilidade de personalização.

A área de armazenamento de documentos ou de servidores de informática, por exemplo, pode ganhar um espaço reservado a elas, com o uso de divisórias piso-teto, que conferem privacidade e segurança, além de evitarem a necessidade de projetos de alvenaria.

Para os empresários mais conservadores e irredutíveis, uma mudança na ambientação do escritório pode parecer irrelevante, mas é muito importante considerar este aspecto para o sucesso do empreendimento. Levar em conta as questões estéticas do ambiente significa que o gestor se importa com a imagem que sua empresa passa aos clientes.

Um ambiente que é esteticamente antigo, muito austero, não condiz com o momento atual, que traduz modernidade. Com os móveis certos, é possível aliar ideias clássicas e inovadoras. Portanto, um conceito não exclui o outro: saiba que é possível inclusive ter o melhor do que cada escolha pode nos oferecer.

E você, já pensou na importância do mobiliário corporativo em um projeto de revitalização de um ambiente empresarial? Conte o seu case pra gente nos comentários!