Sabemos que, biologicamente, o corpo humano está habituado a trabalhar conforme a incidência da luz natural. Por isso, sempre que falamos em iluminação no ambiente de trabalho, é essencial planejar o projeto luminotécnico da empresa de modo que todas as estações do escritório aproveitem ao máximo a luz solar.

A segurança do trabalhador também está em jogo. Afinal, a visão humana necessita de condições ambientes básicas para funcionar de forma saudável e eficaz, evitando problemas oculares que são ainda mais comuns no espaço corporativo.

Detalhamos neste post os principais cuidados necessários na iluminação do escritório: normas técnicas de segurança, modelos adequados de luminárias e posicionamento dos feixes. Acompanhe!

Saúde dos olhos no trabalho

Você sabe o que diz a NR-17? Para quem não conhece, a NR-17 é uma das normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho, que atenta para a preservação da saúde dos olhos no espaço corporativo.

Basicamente, essa norma regulamenta que todos os locais de trabalho devem contar com luminosidade uniforme e que respeite os padrões mínimos de iluminação — seja ela natural ou artificial, geral ou suplementar — apropriada conforme a natureza da atividade ali desenvolvida.

O objetivo é prevenir os problemas mais comuns relacionados à fadiga ocular, como ofuscamento, sombras ou contrastes excessivos e reflexos incômodos. Em se tratando de ambientes de trabalho, essa questão fica ainda mais evidente, pois uma iluminação inadequada compromete não só o rendimento do trabalhador, mas, sobretudo, sua saúde física e psicológica.

Modelos de luminárias

O ponto de partida para um projeto de iluminação moderno, funcional e seguro está na escolha correta das luminárias. Essa escolha deve ser feita de acordo com a arquitetura e as funcionalidades do ambiente. Além disso, também é imprescindível que a luminária escolhida seja de tamanho proporcional ao espaço onde será instalada.

Isso significa que, se o escritório possui dimensões menores e o pé-direito mais baixo, recomenda-se optar por luminárias mais discretas ou mesmo embutidas. Além de práticos e eficientes, os modelos embutidos auxiliam também na otimização do espaço corporativo.

Já para estações de trabalho amplas, com grandes áreas integradas ou pé-direito duplo, é possível ousar um pouco mais no tamanho das peças, investindo em luminárias de piso e arandelas ao longo das paredes centrais, sobretudo nos locais de maior circulação.

As luminárias de mesa também são fundamentais na composição de cada estação de trabalho. Afinal, nem sempre é possível posicionar todas as estações individuais de modo a aproveitar ao máximo a incidência da luz solar — e ela é essencial para uma boa iluminação no ambiente de trabalho.

Apenas atente-se que, para esses casos, é obrigatório optar pela luz branca e fria que, ao contrário das lâmpadas quentes, estimulam o foco, a concentração e o equilíbrio necessários para a realização das tarefas corporativas.

Não se esqueça também de valorizar a unidade visual entre as luminárias escolhidas. Além de deixar o ambiente mais bonito e uniforme, manter a mesma linguagem conceitual entre as peças favorece também a identidade da empresa, ressaltando uma imagem positiva da marca.

Posicionamento das luzes

Assim como o modelo da luminária, o posicionamento do feixe de luz também faz toda a diferença na composição do projeto luminotécnico do ambiente. Nesse caso, o segredo para não errar é pensar no equilíbrio visual.

Esse equilíbrio consiste em garantir a maior uniformidade possível entre os feixes de luz, de modo que nenhuma área fique desamparada ou, pelo contrário, iluminada em excesso.

Para conseguir esse efeito, basta centralizar o feixe da luz principal, que é aquela de maior intensidade e predominância no espaço. Já os demais feixes devem ser posicionados em locais estratégicos ao longo do escritório como, por exemplo, na linha divisória entre as estações de trabalho, sobre móveis laterais e buffets do cafezinho.

Esses feixes de luz indireta também são ótimos aliados para valorizar a decoração do ambiente e, principalmente, a identidade da marca. Experimente posicioná-los nos locais que contém o logotipo da empresa, como o balcão de recepção, destacando o conceito do grupo de maneira sutil e eficaz.

Outra sugestão para aliar conforto visual e identidade da marca na iluminação no ambiente de trabalho é apostar em paredes de cores neutras — preferencialmente claras — e mobiliário minimalista. Desse modo, ficará ainda mais fácil acertar em cheio.

Cuidado com o ofuscamento

Sabemos que a combinação adequada de lâmpadas e espelhos pode favorecer de forma considerável a iluminação dos ambientes, garantindo efeitos sensoriais de amplitude e leveza.

Entretanto, existe uma ressalva quando a ideia é combinar os dois elementos. Nessas situações, é obrigatório que o feixe de luz seja posicionado indiretamente. Caso contrário, o resultado da composição causará ofuscamento visual.

O ofuscamento, inclusive, é um erro muito comum nos projetos de iluminação. Esse efeito acontece quando o feixe luminoso bate com intensidade sobre determinada superfície e, em seguida, reflete diretamente sobre os olhos, causando extremo desconforto ocular.

Evitar o erro é simples: basta não posicionar feixes de luz intensa próximo a objetos reflexivos, como espelhos ou outros elementos decorativos de superfície refletora. Sabe aquele aparador do hall de entrada iluminado indiretamente? Que tal posicionar os espelhos ali? O escritório ganhará em luminosidade, amplitude e personalidade!

Veja outras regras básicas para prevenir a fadiga ocular no ambiente de trabalho:

  • para os funcionários que trabalham em computadores, é preciso considerar a posição da mesa e da janela principal do cômodo para garantir que a iluminação não fará sombra no trabalho;
  • antes de posicionar luminárias de mesa, confira se os usuários da estação de trabalho são destros ou canhotos;
  • lâmpadas de teto devem ser instaladas com distâncias iguais entre os feixes, assim, aproveita-se ao máximo o potencial da iluminação central do cômodo;
  • verifique regularmente o estado de funcionamento e conservação de todas as fontes de iluminação do escritório.

Viu só? Planejar um projeto luminotécnico para espaços corporativos pode ser muito mais fácil do que você imagina, não é mesmo?

Como foi visto ao longo do texto, o segredo para garantir a perfeita iluminação no ambiente de trabalho consiste em aliar modelos adequados de luminárias, posições estratégicas das lâmpadas e máximo aproveitamento da luz natural.

Assim, além de economizar energia, a empresa sai na frente também nos quesitos produtividade e bem-estar dos funcionários! Gostou deste conteúdo? Então compartilhe o post nas suas redes sociais e inspire mais gente a acertar no projeto luminoso!