Para além da beleza e requinte de um projeto bem executado, iluminar um escritório de maneira adequada faz toda a diferença na decoração de ambientes corporativos. Afinal, a iluminação para escritório influencia diretamente na produtividade dos funcionários. Por isso, é fundamental estar atento a elementos como:

  • quantidade de lâmpadas para decoração;
  • qualidade dos feixes;
  • posicionamento do foco de luz para escritório.

Nós sabemos que é impossível trabalhar no escuro, mas de nada adianta também lotar o escritório de lâmpadas se o resultado final não apresentar um fluxo luminoso correto e uniforme.

Quer se livrar desse risco na hora de criar um projeto de iluminação corporativa? Então confira agora as 6 formas mais eficientes de projetar a iluminação para escritório. 

Leia também: Como aumentar a produtividade no ambiente de trabalho e o papel da arquitetura: 5 dicas práticas

Iluminação para escritório: 6 dicas para montar seu projeto

1. Calcule a quantidade de lâmpadas necessárias

Trena e calculadora: isso é tudo o que você vai precisar para calcular com exatidão o número de lâmpadas necessárias para o escritório.

Comece medindo o cômodo por completo — largura e comprimento — sem se esquecer das aberturas e cantos que ficarão “escondidos” na sombra.

Em seguida, multiplique a medida da largura pelo comprimento e arredonde o resultado para cima, de modo a formar um valor inteiro.

Depois, basta multiplicar o resultado por 16. Você obterá aqui a quantidade aproximada de watts (potência) necessária para iluminação do ambiente de trabalho, satisfatoriamente.

Por exemplo: em um cômodo de 4 m x 4,5 m, o cálculo será: 4 x 4,5 = 18 x 16 = 288 watts. A partir daí, é só dividir o total de watts necessários por várias lâmpadas e luminárias a serem estrategicamente posicionadas no escritório.

Neste caso apresentado, você poderá optar por 4 lâmpadas de teto de 60 watts cada (240 watts) e 2 luminárias de mesa de 40 watts (80 watts).

Embora o total ultrapasse a quantidade que seria suficiente para o cômodo, como o valor se mantém próximo, tecnicamente não prejudicando a iluminação para escritório.

2. Acerte na temperatura da cor

Essa regra é básica, mas não custa lembrar:

  • lâmpadas quentes (de tonalidade amarelada ou alaranjada) são as mais indicadas para locais de descanso;
  • lâmpadas frias (de tonalidade branca ou azulada), por sua vez, são recomendadas para locais que demandam maior foco e concentração.

Já deu pra sacar qual é a lâmpada para decoração de escritório, mais indicada, certo?

Mas atenção: isso não significa que você precisa utilizar apenas lâmpadas frias em todo o ambiente. Aqueles locais de menor fluxo de pessoas — como a recepção ou salas de relaxamento e intervalo, por exemplo — podem se tornar mais aconchegantes e pessoais com a instalação de lâmpadas para decoração, um pouco mais quentes.

Para quem utiliza o computador diariamente, por sua vez, será necessário um foco de luz para escritório bem definido na mesa do funcionário, como luminárias ajustáveis que incidam diretamente sobre sua estação de trabalho.

Pode parecer óbvio, mas essa é a forma mais eficaz de evitar erros ou improdutividade por conta do cansaço ou esforço visual.

3. Valorize pontos estratégicos do escritório

Agora que você já acertou a quantidade de lâmpadas e a temperatura de cor dos feixes, é hora de valorizar os pontos estratégicos do escritório para garantir um projeto de iluminação para escritório ainda mais eficiente.

Antes de posicionar as luzes, identifique quais são os pontos focais do escritório, considerando a posição:

  • dos móveis;
  • dos arquivos;
  • das estações de trabalho;
  • o tipo de atividade a ser desenvolvida ali.

Os spots de lâmpadas de LED são ótimas alternativas nesta situação, já que permitem o direcionamento exato do foco da luz conforme o local desejado.

Os spots de iluminação corporativa também possibilitam variar a temperatura e a cor caso seja necessário, além de serem opções bastante econômicas.

4. Invista em iluminação difusa

Ainda quanto aos focos de luz, uma boa dica é investir em iluminação difusa, que tecnicamente é mais confortável aos olhos.

Como o próprio nome sugere, a luz difusa utiliza um difusor — geralmente de vidro ou acrílico — para suavizar a passagem do feixe, controlando a intensidade e o brilho excessivo da iluminação direta. E o melhor: sem provocar sombras fortes ou muito demarcadas.

Outra sugestão valiosa para a iluminação para escritório é evitar instalar lâmpadas de voltagem muito alta. Isso porque elas aquecem o ambiente e geram maior reflexo dos feixes sobre objetos ao redor, tendendo a causar desconforto visual como ofuscamento e cansaço ocular.

5. Pense na economia e conforto visual

Quando falamos em conforto visual, vimos que esse assunto está diretamente relacionado à funcionalidade do ambiente que se deseja iluminar. Portanto, tratando-se de escritórios, a escolha mais confortável será um projeto de iluminação corporativa o mais uniforme possível, priorizando lâmpadas brancas e frias posicionadas de maneira estratégica ao longo do cômodo.

Quanto à economia, não é segredo para ninguém que as lâmpadas de LED saem na frente nesse aspecto. À primeira vista, elas podem até ser mais caras, mas o custo-benefício é garantido: esse tipo de lâmpada é muito mais durável e eficiente do que as lâmpadas para decoração convencionais do mercado.

Se ainda restam dúvidas quanto ao investimento, saiba que conforto visual e economia são quesitos indispensáveis para manter um bom clima no ambiente corporativo, principalmente se considerarmos que as luzes permanecerão acesas por longos períodos de tempo.

E se a ideia é tirar ainda mais proveito desses dois aspectos, a regra de ouro é favorecer a entrada de luz natural no escritório. Para controlar a intensidade da iluminação solar, basta instalar cortinas adequadas.

6. Prefira tons claros e neutros

Essa sugestão vai além da escolha das lâmpadas. Afinal, como sabemos, ambientes ornamentados em cores neutras e claras ficam sensorialmente maiores e mais iluminados. Não tem erro!

Se você quiser uma ajudinha extra para valorizar o seu projeto de iluminação para escritório, considere pintar todas as paredes em tonalidades claras — como branco, bege ou gelo — e estender esse conceito também para os móveis e demais objetos decorativos do cômodo.

Assim, ficará muito mais fácil criar uma composição de interiores uniforme e harmoniosa, conceitos que têm tudo a ver com o que se espera de um ambiente corporativo.

Sobre isso, indicamos que você leia também; “Quais são as melhores cores para escritório e ambiente corporativo?

Após essa leitura, você estará pronto para acertar em cheio na tarefa de criar um projeto de iluminação para escritório!

Seguindo as nossas dicas, vai ser moleza unir requinte, funcionalidade e produtividade no ambiente de trabalho, em doses certas para o local de trabalho.

Dobradinha: decoração e iluminação corporativa

Quando falamos sobre iluminação para escritório também é preciso considerar todo o ambiente, sua organização, funcionalidade e decoração. Isso envolve os móveis, as cadeiras e armários que fazem parte desse ambiente.

E então chega o grande momento! 

Aquele projeto do escritório de uma grande empresa foi conquistado e empolgação não falta para você mostrar seu trabalho!

Mas aí já bate aquela dúvida, qual o melhor fornecedor dos móveis para esse projeto? 

É preciso pensar se a qualidade irá atender seu cliente, se terá a ergonomia adequada e até mesmo se vão entregar e montar no prazo!  

Nós da Marelli sabemos da importância e responsabilidade que você tem com seu cliente! 

Com o diferencial de oferecermos uma solução completa em assentos, mobiliário e divisórias piso teto, estamos prontos para atender a demanda do seu cliente de forma diferenciada!

Solicite seu Orçamento Agora! ← 

E conte com a qualidade e tradição de uma empresa que está a mais de 35 anos no mercado e possui mais de 30 lojas pelo Brasil e América do Sul!

Gostou desse conteúdo? Então compartilhe-o nas suas redes sociais e deixe seus seguidores por dentro dessas excelentes dicas de decoração corporativa!