Entre os elementos que devem ser levados em consideração para a ambientação de um espaço corporativo, destaca-se a ergonomia. Há diferentes tipos, mas focaremos, neste artigo, na ergonomia organizacional e a sua importância para escritórios e empresas.

Para tal, iniciaremos falando sobre as ergonomias cognitiva, física e organizacional, dando enfoque nesta última. Posteriormente, abordaremos as grandes vantagens da ergonomia organizacional e as razões que fazem com que ela seja uma boa alternativa para ambientes corporativos.

Por fim, virão à tona os principais fatores a serem observados antes de inserir diretrizes da ergonomia organizacional em escritórios e empresas. Confira!

Conheça os diferentes tipos de ergonomia

A ergonomia, de maneira geral, trata do estudo da relação existente entre o ser humano e a maneira que ele executa determinada atividade. Com o intuito de prever acidentes, corrigir ou diminuir as chances do desenvolvimento de L.E.R (lesões por esforços repetitivos), a ergonomia age no sentido de aumentar conforto, segurança e saúde do trabalhador.

Analisa-se postura, equipamentos usados, movimentos corporais e fatores físicos do ambiente de trabalho (como ventilação e iluminação, por exemplo), cultura corporativa, entre outros aspectos. Deste modo, a ergonomia busca promover a integração entre limitações e capacidades do profissional, alinhando um trabalho humanizado com boa produtividade.

Avaliando os fatores anteriormente elencados, os trabalhadores que lidam com esta questão, em geral arquitetos ou designers, podem sugerir intervenções a fim de corrigir os problemas. Agora que você já sabe o que é ergonomia, falaremos sobre os principais tipos existentes. Veja!

Ergonomia cognitiva

Esta modalidade de ergonomia está ligada aos processos mentais que o ser humano necessita para realizar atividades e como elas afetam suas interações com outros aspectos do sistema. Entre os processos, podemos destacar raciocínio, memória, resposta motora e percepção.

Os principais elementos observados pela ergonomia cognitiva são os estudos da carga mental exigida para realizar determinada tarefa no trabalho e a pressão para a tomada de decisões. Assim, avalia-se também o estresse de origem profissional e a confiabilidade humana.

Portanto, de maneira geral, a ergonomia cognitiva tem como objetivo analisar e intervir em questões que influenciam a saúde mental dos trabalhadores.

Ergonomia física

A ergonomia física aborda a relação entre a anatomia física do ser humano e as atividades físicas executadas durante o trabalho, relacionando a outros aspectos como fisiologia, biomecânica e antropometria.

São avaliados, neste tipo de ergonomia, a postura no trabalho, a forma como os equipamentos são manuseados, a presença de esforços repetitivos, a segurança e a saúde do trabalhador.

Visando melhorar o desempenho no trabalho, a ergonomia física pretende realizar estudos antropométricos, que analisam medidas do corpo humano, classificando e identificando biótipos inseridos no ambiente de trabalho.

Ergonomia organizacional

Há certa confusão entre os termos “organizacional” e “trabalho”. Embora ambos estejam intimamente relacionados, não são sinônimos. Trabalho é um conceito mais específico, e trata da atividade exercida por um empregado, do objetivo a ser alcançado por aquela prática, dos equipamentos utilizados para a sua execução, do espaço no qual a atividade é exercida etc.

Já a organização consiste em tudo aquilo que constitui uma empresa, desde elementos físicos até pontos como cultura e filosofia da empresa. Então, a ergonomia organizacional no trabalho objetiva a otimização dos elementos apresentados, oferecendo aos funcionários melhores condições de trabalho.

Por se tratar de uma macroergonomia, cada funcionário é visto como pertencente a um grupo maior — a equipe de trabalho. O trabalhador figura como um ser que sofre influências emocionais e sociais, além de influenciar os colegas de escritório. Pensar em ergonomia organizacional é tornar a empresa mais humanizada.

Saiba as principais vantagens e objetivos da ergonomia organizacional

Quando a ergonomia organizacional é inserida de modo efetivo no ambiente corporativo, ocorrem diversas transformações no espaço como um tudo em vários níveis, desde o funcionário até o chefe, além dos fornecedores e clientes, por exemplo.

Elencamos abaixo os principais objetivos e benefícios da ergonomia organizacional. São eles:

  • aumento da produtividade;
  • adesão dos funcionários, chefia e clientes à cultura da empresa;
  • melhora na imagem da empresa;
  • solução de conflitos precocemente;
  • prevenção dos acidentes e riscos no ambiente de trabalho;
  • qualidade de vida no trabalho;
  • adesão dos funcionários, chefia e clientes à cultura da empresa;
  • redução de fatores de risco para doenças relacionadas ao trabalho;
  • reconhecimento do público.

Veja como ela afeta a capacidade do trabalho

Agora que já sabe o que é ergonomia organizacional e quais são as grandes vantagens dela, abordaremos os principais fatores que você deve levar em consideração para implementá-la em seu escritório. Continue a leitura!

Cultura da empresa

É preciso, além de alterar elementos físicos da empresa, lidar com aspectos culturais que envolvem políticas internas da corporação, assim como a sua filosofia. Por conta destas questões mais amplas, a ergonomia organizacional é um conceito igualmente abrangente, capaz de englobar tanto conhecimentos de ambientação quanto de gestão.

As mudanças devem ser feitas com objetivo de garantir ambientes de trabalho mais humanos, livres de bullyings, por exemplo.

Hierarquia

A ergonomia organizacional apresenta como um dos principais objetivos a diminuição das influências negativas que relações hierárquicas tóxicas podem levar a funcionários em geral, o que faz com que a produtividade e a harmonia do ambiente fiquem abaladas.

Sendo assim, é importante que todos estejam envolvidos no processo, especialmente aqueles que estiverem em um posto superior do ponto de vista hierárquico.

Treinamento

É fundamental que sejam feitos treinamentos com os funcionários e a equipe do espaço corporativo, a fim de esclarecer todas as dúvidas que venham a surgir sobre o tema. Sem conhecimento, são grandes as chances de o método não ser aceito pelos funcionários, e, desta forma, não resultar em algo eficiente.

A ergonomia organizacional, ao fim e ao cabo, é uma ramificação da ergonomia, que pode ser aplicada em ambientes corporativos para humanizar o local de trabalho e levar ao aumento da produtividade e da qualidade do serviço produzido. Por conta de tudo que foi apresentado, ela não deve ser vista como um custo, mas como um investimento!

Agora que você já sabe o que é ergonomia organizacional, confira quais são os benefícios da ergonomia aplicadas no ambiente de trabalho!