Curiosidade é uma característica comum à maioria dos arquitetos. Afinal, esses profissionais se inspiram em construções de hoje e do passado, na Arte, na Literatura e na vida das pessoas para criarem suas próprias obras e deixar um legado. Então, que tal conhecer algumas curiosidades sobre arquitetura brasileira, ampliar seu repertório e usar tudo isso para inspirar? 

Ficou curioso? Não se preocupe! Fizemos uma seleção de curiosidades sobre a história da arquitetura no Brasil para mergulharmos um pouco nessa trajetória de sucessos e conquistas e fazer você sentir uma pontinha de orgulho por fazer parte dessa história. Preparado? Vamos lá!

Curiosidades sobre arquitetura brasileira

Confira abaixo como as curiosidades da arquitetura no Brasil influenciaram nossas paisagens!

1. O surgimento da Arquitetura no Brasil

Curiosidades sobre arquitetura

Fortemente influenciados pela Igreja Católica, os colonizadores portugueses iniciaram a arquitetura brasileira com a construção de templos religiosos. Em seguida, priorizaram fortalezas.

As primeiras ordens religiosas que se instalaram no Brasil — Carmelitas, Jesuítas e Franciscanos — construíram templos de acordo com o estilo tardo-renascentista ou maneirista português.

É por isso que as primeiras igrejas construídas no país possuem essas características:

  • fachadas compostas de figuras geométricas;
  • contraste entre a pedra e superfícies brancas;
  • frontões triangulares, entre outras.

Exemplos não faltam nas principais cidades históricas!

2. O papel das reduções jesuíticas

Curiosidades sobre arquitetura

Em muitas cidades brasileiras, você percebe uma distribuição urbanística comum.

O centro (especialmente o centro velho) se desenvolve a partir de uma igreja católica bem tradicional, com uma praça em frente.

Um curiosidades sobre arquitetura brasileira é que esse tipo de organização tem um motivo: quando começaram a colonizar o Brasil, os portugueses esperavam contar com o trabalho dos índios. Para isso, o primeiro passo era conformá-los aos moldes da civilização europeia, incluindo a catequização.

Foi por esse motivo que eles trouxeram os jesuítas. Esses padres organizaram as comunidades segundo um modelo conhecido como redução jesuítica, que tinha as seguintes características:

  • o prédio central era composto pela igreja e acomodação dos sacerdotes;

  • à frente da igreja havia um espaço amplo, onde os índios eram reunidos para uma série de atividades que aconteciam na redução e que deu origem às praças;

  • em volta dessa estrutura principal eram dispostas as casas dos índios, completando a comunidade. 

Esse foi o modelo que iniciou muitas cidades brasileiras no período da colonização.

Depois, mesmo quando o foco não era formar essas comunidades com os índios, novos povoados foram formados a partir dessa mesma ideia.

3. A Arquitetura no Brasil Colônia

Quem já visitou casarios antigos de cidades históricas percebeu características interessantes. As construções urbanas eram erguidas no limite com a via pública, sendo estendidas até as divisas laterais dos terrenos.

Assim, nessas propriedades não havia jardins ou mesmo quintais circundando a construção. Aliás, não era a rua que definia o espaço para as casas. Era exatamente o contrário: o limite das casas que definia o traçado das ruas. Essa é, sem dúvida, uma das curiosidades sobre a história da arquitetura no Brasil.

Devido à ausência de calçamento ou calçadas o traçado da rua era feito com cordas e estacas. Como esses elementos não são duradouros, as casas eram logo erguidas nesse limite para perpetuar sua configuração.

Nas propriedades rurais, as construções se dividiam entre os grandes casarões dos senhores e as moradias simples dos (poucos) funcionários. Como grande parte dos trabalhadores eram escravos, eles eram acomodados nas terríveis senzalas.

4. As igrejas protestantes discretas

Curiosidades sobre arquitetura

Embora algumas igrejas protestantes modernas sejam grandes e suntuosas, elas costumavam ser muito diferentes das igrejas católicas que temos no Brasil.

O design é diferente e a maioria delas não possui torres, sinos e outros elementos distintivos.

No entanto, ao viajar para grandes cidades da Europa e da América do Norte você pode observar que lá as igrejas protestantes são muito semelhantes as igrejas católicas. Grandes construções com:

  • pedra;
  • torres;
  • sinos;
  • portas enormes — só é possível diferenciá-las pela placa.

Qual é a razão para essa diferença aqui no Brasil?

A resposta está na História.

Devido à colonização portuguesa e os esforços do movimento da Contrarreforma, durante séculos, foi proibido professar qualquer religião que não fosse a fé católica no território brasileiro.

Todo esse período afetou, diretamente, as tendências da arquitetura que seriam adotadas no Brasil. 

A proibição funcionou durante muito tempo. Mais especificamente, até 1808. Foi quando D. João VI e sua corte precisaram fugir para o Brasil, trazidos sob a proteção de militares ingleses, que permaneceram no território.

Como esses militares eram protestantes (em sua maioria, anglicanos) e Dom João não queria problemas com a Inglaterra, ele autorizou que eles tivessem seus cultos. Mas para não desagradar a Igreja Católica, o governo fez uma série de exigências.

Entre elas, determinou-se que os prédios deveriam ser simples como casas, sem qualquer sinal que os caracterizasse como templos. Não haveria sinos para convidar as pessoas para os cultos e outros elementos distintivos.

Essa é a razão de as igrejas protestantes no Brasil serem tão diferentes das europeias e de igrejas católicas.

Leia também: Conceito para projeto arquitetônico: inspirações de grandes cidades

5. A relevância do Barroco mineiro

Curiosidades sobre arquitetura

O estilo Barroco não surgiu no país, mas no território mineiro ele definitivamente ganhou uma versão peculiar.

E daí surge mais uma das grandes curiosidades sobre arquitetura: as características do Barroco mineiro são tão distintas que suscitam debates. Alguns especialistas as classificam como barrocas e outros, como Rococó.

Curiosidades sobre arquitetura

A fachada das igrejas, sua ornamentação interna, as pinturas e esculturas são impressionantes. Elas encantam pela:

  • riqueza de detalhes;
  • luxo;
  • ostentação.

As obras do Mestre Aleijadinho se tornaram conhecidas no mundo inteiro, tornando-as uma referência arquitetônica e artística incontestável. 

6. O surgimento do Modernismo

Curiosidades sobre arquitetura

Depois do período em que o estilo rebuscado do Art Déco predominou, o Brasil se rendeu ao Modernismo.

Na década de 1920 grandes arquitetos como Oscar Niemeyer foram responsáveis pela renovação da arquitetura brasileira, propondo linhas simples. 

Provavelmente, o principal símbolo do Modernismo Brasileiro é Brasília.

A cidade, construída na década de 1950, se tornou Patrimônio Cultural da Humanidade devido às suas características singulares.

Depois de todas essas curiosidades sobre arquitetura brasileira podemos chegar a uma conclusão: a arquitetura não se desenvolveu apenas do ponto de vista tecnológico. Ela abarca um caldo de culturas incrível, que a torna cada dia mais rica e interessante.

Devido à grande miscigenação, nossa Arquitetura reflete os valores e costumes de cada uma dessas influências:

A influência dessas curiosidades na arquitetura brasileira

A mistura entre o antigo e o contemporâneo, além de toda essa diversidade referente à mistura cultural, nos fazem viajar por vários países e continentes dentro do nosso próprio território. 

Para saber mais sobre como serão os próximos passos indicamos que acesse o artigo; “Arquitetura do futuro: conheça 5 tendências deste conceito”

E então, gostou de conhecer essas curiosidades sobre a história da arquitetura brasileira? Achou interessante? Então, compartilhe o post nas redes sociais e marque os seus amigos.

A Marelli é lider em mobiliário corporativo no Brasil. São mais de 30 lojas exclusivas pela América do Sul e 35 anos de tradição do mercado garantindo ergonomia, prazo e qualidade diferenciada! 

Confira nossa linha completa de cadeiras para escritório, móveis corporativos, divisórias de ambiente.