Uma das tendências modernas no ramo imobiliário é a integração do projeto mobiliário ainda na planta imobiliária. Isso significa que, ao finalizar o empreendimento, o construtor entrega ao cliente não apenas o projeto arquitetônico, mas também o mobiliário, ou seja, uma planta baixa completa. Entretanto, uma dúvida comum é como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente?

Como essa nem sempre é uma tarefa fácil de se realizar é fundamental criar parcerias com fornecedores de móveis para que a estratégia se concretize na prática.

No post de hoje, você vai entender como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente com planta baixa completa e mobiliada, integrada ao plano de execução da obra!

A importância do projeto imobiliário integrado ao mobiliário

Então, como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente? O primeiro passo é organizar a planta imobiliária que se constitui:

  • do projeto arquitetônico propriamente dito (formato do imóvel e disposição dos cômodos, todos devidamente dimensionados);
  • das instalações elétricas, hidráulicas e sanitárias;
  • do projeto mobiliário.

Embora isso ainda não seja unânime na prática, é comum os arquitetos simularem uma planta baixa completa e mobiliada, para apresentar como ficariam determinados móveis dispostos dentro da obra.

Aprender como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente ajuda ele a compreender melhor a dimensão dos espaços, permitindo uma pré-visualização completa de como ficará sua casa totalmente mobiliada.

Existe uma diferença estética, e mesmo funcional, entre apresentar uma planta imobiliária com grandes espaços vazios nos cômodos e outra com detalhamento de mobiliário, mostrando exatamente como pode ser aproveitado.

Tudo isso é percebido pelo cliente e agrega ainda mais valor ao projeto, gerando credibilidade à construtora e à equipe responsável.

Como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente?

Muitos clientes se sentem tão atraídos pelos projetos arquitetônicos com moveis para planta baixa que acabam solicitando às construtoras que incluam a decoração no pacote, ainda no orçamento da obra.

Se dedicar em entregar um projeto de interiores é uma ótima estratégia para obter descontos na compra dos móveis: o cliente que solicita essa integração costuma economizar de 30% a 50% sobre o preço de custo dos produtos.

Ao comprar um imóvel sem projeto mobiliário, porém, a tendência é que ele venha a gastar em torno de 10% a 20% do preço do imóvel em mobília.

Isso significa que, se o cliente comprou um imóvel por R$ 500 mil, por exemplo, ele ainda vai gastar entre R$ 50 mil a R$ 100 mil em mobília.

Em alguns casos, porém, o cliente pode não optar por um projeto mobiliário completo, mas ainda assim desejar parte dessa mobília já integrada na planta imobiliária. É o que acontece com os móveis embutidos, como:

  • armários de banheiros;
  • quartos;
  • cozinha planejada.

As vantagens para as construtoras e para os fornecedores de mobília

Aprender como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente, incluindo móveis para planta baixa, também é uma postura vantajosa para arquitetos e construtoras, já que as chances de captar e fidelizar clientes e de divulgar sua marca aumentam consideravelmente.

Isso acontece porque os clientes se sentem cativados por uma planta imobiliária que contempla todos os pontos importantes na elaboração de uma casa ou de um apartamento, reconhecendo o valor daquele planejamento.

Nesse contexto, o arquiteto pode otimizar seus lucros ao oferecer projetos de valor mais alto, mas ainda assim vantajosos para o cliente (afinal, ele irá economizar uma boa quantia com a mobília).

A iniciativa também contribui para criar nome para a empresa e para os profissionais engajados, melhorando a percepção das equipes no mercado.

Por fim, também se beneficiam as empresas fornecedoras de móveis. Informações fornecidas pelo Diário do Grande ABC revelam que, quando lojas de móveis fazem parcerias com grandes construtoras, elas tendem a aumentar suas vendas em até 30%.

A importância das parceiras

Como você viu, é importante que as construtoras, ao aprenderem como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente, contem com empresas parceiras na hora de elaborar o projeto arquitetônico.

Já que os valores relativos à mobília são incluídos no orçamento que será repassado ao cliente, é possível que ele se prepare previamente para investir em um lar completo, sem se preocupar com custos adicionais e imprevistos. Ou seja, muto mais praticidade e menos gastos para o cliente!

Para contar com a possibilidade de obter descontos maiores, a construtora pode adquirir os móveis em determinadas empresas fornecedoras ou indicar essas empresas para os clientes adquirirem sua mobília, caso a planta imobiliária apenas simule a existência dos móveis.

Com a formação de boas parcerias, a construtora ajuda a divulgar os fornecedores de mobília enquanto estes ajudam a difundir os serviços da construtora, recomendando-a para os consumidores que frequentam suas lojas.

Também podem ser organizados eventos onde as construtoras apresentem seus projetos a um público e sejam exibidos também móveis de lojas específicas, que poderão integrar a planta imobiliária.

Outra opção para uma empresa parceira que fornece mobília é colocar esses móveis nas casas e apartamentos de visitação.

Assim, o cliente poderá visualizar o que foi proposto no detalhamento de mobiliário, entendendo exatamente como o imóvel ficará depois de pronto e decorado.

Se o fornecedor escolher os móveis adequados para a exposição, há grandes chances de o cliente ficar com algum deles ou mesmo com todos. Ainda que ele não manifeste seu interesse ou realize a compra no momento da visitação, ele poderá procurar a loja posteriormente para efetivar sua compra, ou solicitar a compra do empreendimento mobiliado.

Como a construtora deve escolher a loja de móveis

Para fazer boas parcerias, o arquiteto e/ou a construtora responsável pela planta imobiliária deve selecionar as empresas fornecedoras a partir de certos critérios. Entre os principais, podemos destacar:

A reputação da loja de móveis

Portanto, pesquise bem antes de escolher a sua parceira para entregar um projeto de qualidade, para isso você deve estar atento a alguns pontos, como:

  • o que os clientes (principalmente os mais antigos) pensam sobre a empresa;
  • o que dizem sobre ela;
  • a opinião de outras lojas sobre a marca;
  • os feedbacks de quem comprou ou visitou a loja contam muito nesse momento. 

Os preços e os descontos

A loja deve ser flexível na precificação e nas formas de pagamento, considerando que a construtora está contribuindo para a divulgação da empresa.

É importante que ela ofereça bons descontos pensando nos resultados em médio e longo prazo, já que muitos negócios poderão ser concretizados a partir dessa parceria.

A possibilidade de cobertura das demandas da construtora

A loja de móveis precisa oferecer estrutura suficiente para fornecer a mobília necessária de acordo com o que você apresentar em um projeto arquitetônico ao cliente. Então lembre-se de procurar um estabelecimento de grande porte.

Caso contrário, seus projetos poderão sofrer com atrasos na entrega, deixando os clientes insatisfeitos e prejudicando a reputação da sua marca.

A personalização

A loja deve ser flexível e se dispor a trabalhar de forma personalizada, disponibilizando-se para substituir um determinado móvel indicado na planta imobiliária por outro de preferência do cliente, por exemplo.

Agora que você já saber como apresentar um projeto arquitetônico ao cliente é hora de procurar uma empresa com experiência em atuar junto a construtoras e arquitetos, facilitando a elaboração de projetos arquitetônicos integrados então não deixe de conhecer o nosso trabalho!

A Marelli sabe da importância e responsabilidade que você tem com seu cliente! 

Com o diferencial de oferecermos uma solução completa em assentos, mobiliário e divisórias piso teto, estamos prontos para atender a demanda do seu cliente de forma diferenciada!

Solicite seu Orçamento Agora! ← 

E conte com a qualidade e tradição de uma empresa que está a mais de 35 anos no mercado e possui mais de 30 lojas pelo Brasil e América do Sul!

Qual sua opinião sobre ter a planta imobiliária integrada ao projeto mobiliário? Gostou deste post? Aproveite e assine a nossa newsletter para receber mais novidades, diretamente em seu e-mail, sobre mobiliário residencial e corporativo!