Você já parou para pensar na importância do projeto mobiliário para a imagem corporativa de um negócio? Nos seus projetos, os móveis contribuem para que os valores de uma empresa sejam percebidos pelos clientes? O espaço interno projetado dialoga com o produto ou serviço que ela entrega?

As questões listadas acima são fundamentais para manter a boa imagem da empresa na hora de elaborar um projeto corporativo. A cor do ambiente de trabalho, o estilo e a disposição dos móveis, a iluminação usada, tudo influenciará diretamente na percepção que o público interno e externo tem sobre determinado negócio.

Se uma marca quer passar uma imagem moderna e inovadora, ela também deve transmitir essa ideia em suas instalações físicas. Quer entender como o mobiliário certo pode contribuir para a imagem corporativa nos seus projetos? Confira as dicas que listamos a seguir e tire suas dúvidas!

A força do visual

Geralmente, o apelo visual é algo muito marcante em qualquer contexto, e a aparência das pessoas e dos lugares chama a atenção logo no primeiro contato. Quando alguém é questionado sobre um ambiente corporativo, as características do espaço físico são as primeiras coisas a serem lembradas: é comum ouvirmos pessoas descreverem um prédio como imponente, amplo, moderno e bem iluminado, por exemplo.

Mas se o visual pode transmitir uma ideia de elegância e inovação, ele também pode levar uma empresa a ser percebida como retrógrada e ultrapassada. Por isso, é preciso ter atenção à imagem corporativa, cuidando para que as políticas da organização sejam coerentes com a percepção que se quer passar ao público.

A transformação do ambiente

Trabalhar em um ambiente com uma boa decoração, uma arquitetura planejada e um visual detalhadamente projetado farão toda a diferença para o seu cliente e para as equipes geridas por ele. Afinal, um espaço pensado exatamente para as necessidades da empresa é capaz de facilitar os processos diários, tornando o trabalho mais eficiente e contribuindo para a produtividade dos funcionários.

Esses aspectos ficam muito nítidos quando observamos o ambiente de agências de publicidade, startups e alguns escritórios de decoração, no qual os espaços são pensados para facilitar a troca de ideias e a criatividade das equipes. Neles, é raro encontrar ambientes convencionais: cada detalhe é um lembrete e um convite à criação. Espaços amplos, móveis coloridos e referências de decoração, que vão desde o vintage ao moderno, contribuem para um clima mais aconchegante e harmonioso.

A coerência entre imagem e cultura

Quando o cliente pede um novo projeto, muitas vezes, isso vai significar muito mais do que um visual diferente. A empresa pode estar passando por um momento de transição, definindo um plano de gestão ou até ampliando suas atividades no mercado.

O importante é que a mudança do espaço físico seja coerente com sua filosofia e posicionamento de mercado. Por exemplo, se a empresa tem uma política que pretende incentivar a contratação de pessoas com deficiência, é natural que ela queira refletir isso também em seu espaço interno, por meio de móveis adaptados e preparados para receber esse público.

Por isso, é importante observar algumas características que fazem o ambiente corporativo ser organizado de forma eficiente e harmoniosa, mas busque observar também a consonância entre ele e a proposta institucional.

O bom gerenciamento da imagem

A imagem de uma empresa inclui muitas variáveis. Algumas delas podem ser óbvias, concretas e palpáveis, mas outras envolvem aspectos subjetivos e difíceis de serem percebidos. Por isso, é importante pensar em como a decoração das empresas influencia a imagem institucional, mas também é importante gerenciar essa imagem.

O gerenciamento pode ser feito de várias formas: pesquisas sobre a percepção da imagem da empresa por parte de seus diferentes públicos e análise detalhada do conteúdo veiculado na mídia sobre a organização ou até de comentários da empresa nas mídias sociais.

O importante é pensar que a escolha dos móveis pode influenciar a percepção das pessoas acerca da instituição, mas que existe todo um contexto que interfere nesse fator e que deve ser observado. Esse tipo de acompanhamento deve ser capaz de sugerir mudanças e pequenos ajustes no posicionamento institucional.

 O fator valorizado por todos

Para além da beleza e da funcionalidade, existe um valor que tem ganhado cada vez mais importância nas organizações: a sustentabilidade. Quando a empresa observa certos aspectos da arquitetura sustentável, o olhar de muitos clientes e, até mesmo, dos funcionários, muda consideravelmente.

Uma mesa fabricada com madeira de reflorestamento, uma janela que possibilita maior luminosidade, um espaço externo que facilita a circulação de ar e reduz o gasto com ar-condicionado: todas essas funcionalidades são exemplos de ações simples, mas que podem fazer toda a diferença para a imagem corporativa do seu cliente.

Mostrar que a empresa preza por práticas que valorizam o aproveitamento de matéria-prima sustentável contribui positivamente para sua reputação no mercado. Afinal, sabe-se que os recursos naturais não suportam todas as necessidades humanas, e é preciso trabalhar de forma que esse valor seja refletido nas instalações corporativas. Mostre ao seu cliente que é possível ser belo, elegante, moderno e sustentável ao mesmo tempo!

A imagem como identidade

Algumas organizações levam a questão da imagem tão a sério que ela se torna a própria identidade da organização. O Google, a Apple, a Johnnie Walker, a Natura e a Coca-Cola são exemplos de instituições que conseguem fazer isso de forma harmônica.

A cor da marca e do mobiliário, a identidade visual de seus canais digitais, o posicionamento que elas têm no mercado: tudo isso contribui para que imagem e identidade sejam percebidas pelos públicos como algo único. Nesse contexto, o mobiliário usado por algumas organizações só reforça essa ideia, denotando mais modernidade, elegância ou rusticidade de acordo com cada propósito.

Essa percepção é tão presente para o consumidor que, muitas vezes, ao olhar uma foto do escritório do Google, por exemplo, a percepção de inovação, ousadia e juventude já vem logo associada.

Há muitos pontos que precisam e merecem ser observados por arquitetos e decoradores para garantir uma boa imagem corporativa, e esses são apenas alguns dos mais importantes. Gostou deste post e quer receber outros conteúdos exclusivos? Assine a nossa newsletter e fique por dentro das maiores novidades do setor!