Não é de hoje que o Brasil é referência em arquitetura, reunindo nomes reconhecidos mundialmente por projetos impecáveis e linguagens características. Mas, se até meados de 1930, a arquitetura brasileira era protagonizada pela linguagem neoclássica e colonial, de lá para cá, a linguagem moderna e contemporânea ganhou corpo para redefinir os projetos brasileiros.

As transformações na forma de pensar e conceber essa nova linguagem saltam aos olhos quando nos deparamos com projetos modernos, como a Praça das Artes, o Edifício Capanema e o famoso Palácio da Alvorada. Esses e outros projetos icônicos da história da arquitetura brasileira você confere neste post. Continue a leitura e inspire-se!

1. Sala São PauloArquitetura brasileira: Sala São Paulo

Sala São Paulo passou por longas transformações até se tornar um verdadeiro cartão-postal paulistano. A obra teve início ainda em 1920, em meio ao incipiente contexto de modernização da cidade. Porém, foi abandonada e retomada diversas vezes, até que se tornou um local efetivo para a apresentação de balés e orquestras.

Em 1997, o arquiteto Nelson Dupré foi convidado pela Secretaria de Estado e Cultura de São Paulo para fazer a restauração da Sala. Desde então, Dupré coleciona prêmios que vieram, sobretudo, por conta do reconhecimento pelo seu trabalho na Casa São Paulo.

2. Praça das ArtesArquitetura brasileira: Praça das Artes

Projetada pelo reconhecido escritório Brasil Arquitetura, a Praça das Artes é um espaço cultural formado pela união dos prédios que envolvem o teatro municipal de São Paulo, o centro de documentação artística, as salas de recitais e as áreas de convivência do espaço.  A concepção do projeto foi desafiadora, tendo em vista a complexidade do solo do terreno e o histórico de abandono dos edifícios culturais brasileiros.

Ao todo, a Praça das Artes levou seis anos para ser concluída, mas o reconhecimento fez jus ao desafio. Tanto é que, em 2014, o local se tornou uma referência da arquitetura brasileira, conquistando o prêmio internacional Icon Awards, da Icon Magazine, na categoria Edifício do Ano.

3. Biblioteca BrasilianaArquitetura brasileira: Biblioteca Brasiliana

Ocupando uma extensa área na Universidade de São Paulo (USP), a Biblioteca Brasiliana é uma obra de renome assinada pelo escritório Mindlin Loeb + Dotto Arquitetos, com parceria do escritório Eduardo de Almeida Arquitetos. A Biblioteca ocupa um terreno de 25 mil metros quadrados dentro da Universidade e conta com a mais importante coleção particular de livros e manuscritos. O projeto foi finalizado em 2013 e, neste mesmo ano, ganhou o prêmio de melhor obra arquitetônica pela Associação Paulista de Críticos da Arte (APCA).

4. Edifício Gustavo CapanemaArquitetura brasileira: Edifício Gustavo Capanema

Também conhecido como Palácio Capanema, o Edifício Gustavo Capanema é um imponente prédio público que abrigava os Ministérios da Saúde, Educação e Cultura. O local está situado à Rua da Imprensa, no Rio de Janeiro, e é considerado um grande marco da arquitetura brasileira, com execução entre 1936 e 1945 e finalização em 1947.

O nome da obra é uma homenagem a seu idealizador, Gustavo Capanema, que foi ministro da Educação e Saúde Pública durante o governo de Getúlio Vargas. A equipe que assinou o projeto foi composta por alguns dos mais consagrados nomes da arquitetura moderna no Brasil: Oscar Niemeyer, Lucio Costa, Carlos Leão, Ernani Vasconcellos, Affonso Eduardo Reidy e Jorge Machado Moreira.

5. Casa de Vidro de Lina Bo BardiArquitetura brasileira: Casa de Vidro de Lina Bo Bardi

Casa de Vidro é mais um expoente da arquitetura moderna no Brasil, tendo sido o primeiro projeto assinado pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi. O local escolhido para a obra é o antigo loteamento da Fazenda de Chá Muller Carioba, situado na região do Morumbi, em São Paulo.

A obra teve início em 1950 e foi residência do casal Lina Bo e Pietro Maria Bardi durante 40 anos, recebendo este nome por sua majestosa fachada de vidro que parece flutuar em meio aos pilares. O vasto e bem cuidado jardim é outro destaque da Casa de Vidro, com trilhas decoradas que abrangem nada menos do que 7 mil metros quadrados de área.

6. Edifício CopanArquitetura brasileira: Edifício Copan

O Edifício Copan é uma das várias obras de renome do arquiteto Oscar Niemeyer, feita com a colaboração de Carlos Aberto Cerqueira. A obra foi levantada no acelerado contexto da modernização de São Paulo, com a industrialização se desenvolvendo para além dos limites da cidade e concentrando um adensamento populacional no centro, o que deu início ao processo de verticalização da capital paulista.

Iniciado em 1957 e inaugurado em 1966, o Edifício Copan tem a maior estrutura de concreto armado do Brasil, somando 32 andares em 115 metros de altura e 120 mil metros quadrados de área construída. O prédio é dividido em seis blocos, com 1160 apartamentos de dimensões variadas e cerca de cinco mil residentes de diferentes classes sociais, abrigando, também, mais de 70 estabelecimentos comerciais.

7. Palácio da AlvoradaArquitetura brasileira: Palácio da Alvorada

A famosa residência oficial do Presidente da República é presença garantida em qualquer lista de projetos premiados da arquitetura brasileira. Assinada por Oscar Niemeyer, ela foi a primeira obra construída na capital recém-inaugurada, em 1957. De lá para cá, 16 presidentes brasileiros já residiram no Palácio, que teve seus interiores restaurados para abrigar o atual governante eleito em 2018.

Palácio da Alvorada se destaca por sua beleza exuberante às margens do Lago Paranoá, representando a suavidade das quatro curvas em uma interseção perpendicular de eixos. Com essa obra, Niemeyer consagrou um de seus maiores símbolos arquitetônicos que até hoje serve de inspiração para grandes arquitetos: uma mesma forma utilizada em todas suas variações, seus materiais e contextos.

Inclusive, vale lembrar que Niemeyer foi o primeiro arquiteto brasileiro a conquistar o Prêmio Pritzker, que é a maior premiação área. A conquista se deu em 1988 e, desde então, somente em 2006 outro arquiteto brasileiro conseguiu esse feito: Paulo Medes da Rocha, pelo projeto da Praça do Patriarca, em São Paulo.

Por essa premiação, ambos são considerados os dois arquitetos mais consagrados do Brasil. Contudo, todos os nomes citados ao longo deste texto também têm o devido reconhecimento e prestígio por assinarem obras que levam os traços da arquitetura brasileira mundo afora, seja em projetos residenciais, seja em projetos corporativos.

Falando em obras corporativas, aproveite e leia também nosso post sobre as tendências da neuroarquitetura para projetos de sucesso!